Moçambique e Zimbabué

Os presidentes de Moçambique e Zimbabué, Filipe Nyusi, e Emmerson Mnangagwa, defenderam, em Maputo, um novo patamar na cooperação económica bilateral, assinalando que as relações entre os dois estados devem gerar resultados em prol das populações.

Nyusi e Mnangagwa advogaram a necessidade de um salto na cooperação bilateral, durante a visita de trabalho que o chefe de Estado do Zimbabué realizou esta quarta-feira a Moçambique, a primeira desde que assumiu funções na sequência da destituição de Robert Mugabe, em Novembro.

“Queremos que as nossas relações comerciais evoluam e se coloquem ao nível da excelência das nossas relações políticas e diplomáticas”, declarou o chefe de Estado moçambicano, falando durante o almoço que ofereceu ao seu homólogo do Zimbabué.

Para permitir que o país vizinho aproveite o potencial de Moçambique na ligação ao mar, prosseguiu Filipe Nyusi, estão em curso investimentos nas infraestruturas, nomeadamente, estradas, portos e caminhos de ferro.

“Moçambique continua a ser um parceiro e uma aposta segura e viável para o desenvolvimento socioeconómico do Zimbabué”, destacou.

Delegações de Moçambique e do Zimbabuè em conversações em Maputo
Delegações de Moçambique e do Zimbabuè em conversações oficiais em Maputo

Filipe Nyusi assinalou que o seu país quer continuar a ser uma fonte energética segura e previsível para a economia do Zimbabué, fornecendo electricidade fiável e de qualidade.

Por seu turno, Emerson Mnangagwa destacou que os dois países são aliados naturais, pela sua proximidade geográfica e laços históricos, demonstrados pelo facto de figuras da luta pela independência do Zimbabué, incluindo o actual chefe de Estado e o seu antecessor, Robert Mugabe, terem vivido em Moçambique.

“Reafirmo a prontidão do Zimbabué para o aprofundamento e o alargamento das relações bilaterais, através da consolidação e expansão das oportunidades de cooperação”, afirmou o chefe de Estado do Zimbabué.

Emmerson Mnangagwa defendeu que cooperação bilateral deve gerar benefícios para os dois países, exortando os governos a empenharem-se na implementação dos acordos bilaterais.

“Não queremos que a prestação dos ministros fique aquém das obrigações assumidas nos acordos, boas decisões não implementadas é filosofia do passado”, declarou.

Emmerson Mnangagwa afirmou que a visita a Moçambique insere-se num périplo pelos países da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC), os quais pretende informar sobre a situação política no Zimbabué, no contexto da destituição de Robert Mugabe, na sequência de uma intervenção militar no país.

Redacção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trocar »