Moçambicano (+1) procurado

Uma mulher sul-africana procura o seu marido moçambicano de nome Alberto Ferrão Chale, também conhecido por Mafelandleleni, que vive no bairro de Xipamanine e frequenta uma mesquita perto do terminal da Junta, na cidade de Maputo, onde é conhecido pelo nome muçulmano de Farid Alberto Mahomed.

A mulher sul-africana, Nomusa Nancy Sithole, da região de Lady Smith, na província de KwaZulu-Natal, diz que viajou para Maputo no dia 23 de Junho passado a fim de vir buscar o seu filho de dois anos que estava com o pai, seu marido moçambicano.

De regresso à África do Sul, no dia 14 deste mês de Julho, Nomusa Nancy Sithole foi brutalmente assaltada e perdeu todos os seus documentos e outros bens e ficou traumatizada, tendo sido socorrida para o hospital de Joanesburgo com o seu filho de dois anos.

Através de um activista social, contactou o consulado-geral de Moçambique em Joanesburgo pedindo ajuda para localizar o marido em Maputo a fim de ir levar a criança no hospital.

Desalojados de Joanesburgo

Num outro desenvolvimento separado, alguns desalojados pelo incêndio no antigo edifício degradado do Banco de Moçambique em Joanesburgo (Cm N.º 5124, págs. 1 e 2) tentaram sexta-feira regressar ao edifício para ocuparem os seus apartamentos e confrontaram-se com agentes da segurança privada.

O edifício foi selado por ordens do município da cidade que considera inseguro para habitação.

Sete pessoas morreram, incluindo um moçambicano, num incêndio alegadamente provocado por um imigrante ilegal de Moçambique que tentava extrair cobre de cabos roubados.

Os sobreviventes foram levados para uma acomodação temporária em Turfontein, região sul de Joanesburgo.

De lá alguns tentaram regressar sem sucesso aos seus antigos apartamentos. Muitos são traficantes e consumidores de drogas.

THANGANI WA TIYANI, Correspondente na África do Sul

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trocar »