Aumentos: FMI reage

O Fundo Monetário Internacional (FMI) elogiou hoje a decisão das autoridades moçambicanas de aumentarem o preço de energia elétrica, assinalando que a medida preserva a tarifa social e os consumidores de baixa renda.

“O Fundo Monetário Internacional apoia a decisão das Autoridades Moçambicanas de ajustar, com efeitos a partir do dia 15 de agosto de 2017, as tarifas de eletricidade”, refere um comunicado assinado pelo representante do FMI em Maputo, Ari Aisen.

O ajuste das tarifas, prossegue a nota, deverá ajudar a limitar as perdas operacionais da empresa pública Electricidade de Moçambique (EDM) e proteger o orçamento do Estado.

Para o FMI, a medida tem o mérito de preservar uma tarifa “social” para os consumidores de baixa renda e mais vulneráveis.

O preço de energia elétrica aumenta a partir de hoje em Moçambique, passando os consumidores domésticos a pagar 6,95 meticais (0,90 cêntimos de euro) o kilowatt por hora contra os anteriores 5,14 meticais (0,71 euros).

Em comunicado distribuído hoje, a Eletricidade de Moçambique (EDM) informa que aquele agravamento destina-se aos consumidores que usam a plataforma pré-pago.

De acordo com a EDM, os consumidores da plataforma pós-pago sofrem um aumento médio de dois meticais (0,027 meticais).

A nota indica que os clientes de baixa renda, cujo consumo varia de zero a 125 quilowatts, continuarão a pagar uma tarifa de 1,075 meticais por hora.

No comunicado, a EDM justifica o ajustamento tarifário com a necessidade de acompanhar o incremento dos custos de produção.

Os aumentos anunciados hoje são o segundo agravamento de preços de energia em dez meses em Moçambique.

Já na próxima quarta-feira (16 de Agosto) entram em vigor os novos preços dos combustíveis, com o gás doméstico (GPL) a descer dos actuais 50,74 meticais para 48,91 meticais/kg.

O gasóleo passa dos actuais 50,48 meticais para 53,38 meticais por litro, enquanto a gasolina passa dos actuais 56,59 para 57,68 meticais por litro.

Por sua vez, o petróleo de iluminação passa dos actuais 39,65 para 40,67 por litro e o gás natural comprimido (GNV) passa dos actuais 26,77 para 27,77 meticais por litro equivalente.

Redacção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trocar »